LN – STF vai colocar os novos conselheiros do Judiciário no cargo sem esperar que o Congresso envie seus representantes



Os quatro juízes do Suprema Corte assinaram hoje um acordo no qual providenciam que o presidente do tribunal, Horácio Rosattiempossar os novos membros do Conselho Judicial já designados pelos diversos setores (advogados, juízes, acadêmicos e Poder Executivo), sem esperar que o Congresso envie seus representantes.

A nomeação de um dos conselheiros pelo Senado enfrenta Cristina Kirchner com o Supremo Tribunal. Na semana passada, o tribunal considerou que ela agiu de “má-fé” em abril, quando nomeou a kirchnerista como conselheira Martin Doar representando a segunda minoria no Senado; para isso, a Frente de Todos foi dividida em duas, em uma manobra que a Corte qualificou de “golpe”. O tribunal julgou que o lugar em disputa era então para o oponente Luís Juiz.

O kirchnerismo denunciou que os juízes estavam “passando por cima” dos poderes do Senado e disse que, para a próxima composição do Conselho -que começa na próxima semana-, eles não vão modificar os critérios, apesar do que a Corte disse, e proporá Doñate novamente. Isso garante um novo conflito, mas ainda não aconteceu. Até agora, Cristina Kirchner não enviou nenhuma designação. Nem Cecilia Moreau para a Câmara dos Deputados, informaram fontes do Conselho. Os mandatos em vigor hoje são até esta sexta-feira.

O Conselho poderia reunir-se sem os representantes dos legisladores? Miguel Piedecasasconselheiro de advogados, disse A NAÇÃO que sim. “Se o Conselho reunir o quórum para funcionar, nós temos que funcionar. Uma plenária é convocada e se somos 12, começamos. Então vamos calcular as maiorias de acordo com os membros presentes”, afirmou. De qualquer forma, se o partido no poder não concordar, não haverá sessão plenária: um dos 12 conselheiros necessários para haver quórum é Gerônimo Ustarrozo representante do Poder Executivo.

Em sua decisão de hoje, a Corte destacou que “no âmbito dos diversos procedimentos que terminam com a nomeação de qualquer um dos membros do Conselho da Magistratura, o atribuição única que o art. 2º da Lei 24.937 põe na cabeça do Presidente do Tribunal é receber o juramento das pessoas designadas, ato pelo qual o membro designado filia-se ao referido órgão constitucional.

A Corte, em seu acordo, detalhou que os conselheiros a quem prestará juramento são, pelos acadêmicos e cientistas, William Tamarit (Radical, Chanceler da Northwestern University) e Hugo Galderisi, da Universidade Nacional de Lomas de Zamora; pelos advogados, Piedecasas e Jimena da Torre (oponentes), Héctor Recalde (Kirchnerista) e Maria Fernanda Vázquezligado ao ex-vereador Diego Molea, que se apresenta em seu ambiente a partir da “avenida do meio”.

Os juízes também jurarão Diego Barroetaveña e Agustina Diaz Corderoda lista Bordó (a mais crítica do Kirchnerismo); Alberto Lugonespara a lista Celeste, e Maria Alejandra Provitolade Compromisso Judicial.

O Conselho se completará com Rosatti -por lei, o presidente da Corte também preside o Conselho- e com Ustarroz. Quem vai faltar, pelo menos inicialmente, são os oito legisladores.

Embora o acordo não estabeleça uma data para a tomada de posse, fontes do Conselho disseram A NAÇÃO que em diálogos informais especula-se que seriam na próxima terça-feira, às 10.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 1 veces, 1 visitas hoy)