LN – Julgamento pelo crime de Fernando Báez Sosa, ao vivo: declaram os peritos que extraíram as amostras de sangue da roupa e as informações dos celulares


09.31 “Fernando tinha várias marcas no rosto e pescoço”

Falando com A rede, Haydée Almiróno chefe do Gabinete Científico de Mar del Plata da PFA que testemunhou ontem no julgamento e participou do perícia escopométricaaprofundou: “Fernando tinha várias marcas, em ambos os lados do rosto, no queixo e no pescoço. Realizamos uma tarefa para estabelecer a idoneidade dos traços, pois nem todos são passíveis de comparação; para isso devem ter uma superfície, que pode ser vista no queixo, mas não no pescoço”.

O especialista recordou que o estudo realizado se baseou em 14 pares de calçado no âmbito dos quais se identificou “um único ziguezague com a frequência de comprimento de onda que ocorreu na maxila”. Da mesma forma, disse que o padrão corresponde a um sapato sequestrado de Máximo Thomsen.

Opinião especializada sobre os sapatos de Máximo Thomsen, um dos acusados ​​de matar Fernando Báez Sosa

Opinião especializada sobre os sapatos de Máximo Thomsen, um dos acusados ​​de matar Fernando Báez Sosa

09.06 Hugo Tomei: “Tenho profundo respeito pela dor das pessoas que sofrem”

Ao ser abordado pela mídia em sua chegada ao Palácio dos Tribunais, o advogado de defesa do réu, Hugo Tomeijustificou a sua relutância em prestar declarações no âmbito do julgamento.

“Meu silêncio é em respeito ao tribunal, para que possa decidir e avaliar a melhor das frases que todos esperamos; e também tenho um profundo respeito pela dor das pessoas que sofrem da perda de uma vida humana, jovem. Acho que o silêncio vai me levar a esse lugar de respeito, que é um respeito sério, honesto e de doca seca”, disse, acrescentando: “Peço que saibam entender, quero falar muito pouco. Sei que merecem uma palavra minha, mas há algo mais forte do que a dignidade e o respeito humano.”

Depois disso, Tomei afirmou que continuará a ser o representante legal dos réus e retirou-se.

O defensor do arguido, Hugo Tomei

O defensor do arguido, Hugo Tomei

08.58 Avanço de Juan Manuel Dávila

Em diálogo com a mídia, o procurador Juan Manuel Davila falou sobre o desenvolvimento do dia de hoje. “Os especialistas vão expor onde há material genético a partir das evidências coletadas. Primeiro, você tem que reproduzir a sequência do especialista em vestígios que coleta as evidências, do químico que analisa o que foi coletado pelo especialista em vestígios e depois do especialista em DNA, que analisa tudo isso”, explicou.

Sobre a análise dos telefones correspondentes a esta audiência, disse: “Depois é extraído o conteúdo dos telefones celulares apreendidos e depois é feita uma análise dessa extração. Hoje eles vão explicar o procedimento pelo qual os celulares são recebidos e como as informações são extraídas (…) Celular não vai abrir”.

Sobre a amostras de DNAadicionado: “São muito importantes. As evidências foram retiradas de todas as evidências coletadas no local e durante as incursões. Nós conversamos sobre as roupas que eles usavam [los acusados] aquele dia”.

Procurador Juan Manuel Dávila

Procurador Juan Manuel Dávila

08.34 Fernando Burlando: “Todos tiveram protagonismo no resultado”

Minutos antes do início da oitava audiência, o advogado da família de Fernando Báez Sosa, Fernando Burlandoconcedeu uma entrevista em que fez um balançado do julgamento e falou sobre o responsabilidade de cada réu.

“Foram dias realmente muito favoráveis ​​para a nossa posição. nós entendemos que a situação probatória já foi encerrada suficiente para poder fazer uma acusação neste caso, onde as certezas necessárias são diferentes da parte anterior do processo. Estamos ansiosos pelo fim do debate”, disse o advogado em declarações ao C5N.

Mais tarde, ele disse sobre a responsabilidade dos acusados ​​​​do crime: “Todos tiveram um papel de liderança no resultado onde o resultado foi completo. Esses seis réus que observamos até agora são tão importantes para nós castigaram Fernando para matá-lo como aqueles que eles impediram a ajuda. Não vamos esquecer que o papel desses réus foi tão importante que acabou levando ao assassinato. Não há falta de responsabilidade se Fernando não pôde ser salvo por eles. E o papel que desempenharam impediu que aqueles que queriam ajudar Fernando o salvassem. Está muito claro para nós, para a lei e para os autos lavrados pelos nossos tribunais”.

16.08 Os áudios que os réus enviaram após o crime de Fernando

Em meio às investigações dos acusados ​​de espancar até a morte Fernando Báez Sosa, três mensagens de áudio enviado para um dos grupos Whatsapp que tinham foram divulgados e fez parte da prova utilizada pelo juiz no caso, David Mancinelli, decretar prisão preventiva por homicídio duplamente agravado da vítima.

No primeiro dos áudios você pode ouvir Lucas Pertosi diga a seus amigos que Fernando “decídua”. Essa mensagem foi enviada para 4h55 do dia 18 de janeiro: “Estou aqui perto de onde está o menino e estão todos lá gritando, a polícia está lá, chamaram a ambulância… já expirou.”

Em seguida, uma segunda mensagem de áudio enviada pelo mesmo réu quase logo em seguida diz: “Estou procurando esse Ciro, ele é um babaca… Ele me diz venha ao mercado que a gente sempre passa, estou no mercado pelo hotel e eles não estão lá, amigo… esse Ciro é mais lolo”. O terço dos áudios pertence a Cyrus Pertossi. Foi enviado às 6h06 e diz: “Pessoal, não conte a ninguém sobre isso.”

Os chats que aparecem no arquivo

Os chats que aparecem no arquivo

08h00 Sangue de Fernando nas roupas dos agressores

Uma das primeiras perícias solicitadas pela promotora investigadora Verónica Zamboni após o crime de Fernando Báez Sosa foi uma experiência para comparar o DNA das manchas de sangue encontrados nas roupas e calçados dos réus com o padrão genético da vítima.

tanto quanto ele poderia dizer A NAÇÃOestudos de DNA realizados nas roupas dos oito jovens que compareceram a julgamento revelaram que 70% das roupas dos agressores tinham sangue de Fernando.

Por outro lado, as análises concluíram que o perfil genético do sangue encontrado sob as unhas da vítima correspondia a Blas Cinalli. Um segundo perfil genético também teria sido encontrado nos swabs que corresponderia a máximo thomsen.

Os estudos mencionados deve ser ratificado ou prorrogado pelos peritos que vão depor na audiência desta quarta-feira.

07:35 Os oito réus chegaram ao Palácio dos Tribunais de Dolores

Os oito réus máximo thomsen (23), Enzo Comelli (22), Matias Benicelli (23), Blas Cinalli (vinte e um), Ayrton Violaz (23), e Luciano (vinte e um), Ciro (22) e Lucas Pertosi (23), chegou ao Palácio de Cortes de Dolores.

Um a um, os acusados ​​de matar Fernando Báez Sosa

Um a um, os acusados ​​de matar Fernando Báez Sosa (Arquivo/)

07h00 Julgamento pelo crime de Fernando Báez Sosa: declaram os peritos que analisaram as amostras de sangue das vestes e as informações dos cleulares

o oitavo dia de julgamento pelo crime de Fernando Báez Sosa terá como testemunhas peritos e membros da Polícia Federal Argentina (PFA) que intervieram no extração e análise do material armazenado nos celulares dos réus.

Fontes judiciais indicaram que uma dezena de testemunhas comparecerão a partir das 9h perante o Tribunal Oral Criminal (TOC) 1º de Dolores. Ele primeiro declarará Grace Parodiperito que participou da coleta de amostras de sangue nas roupas dos réus e da vítima.

Ele vai testemunhar mais tarde Norma Tramontini, que fez testes químicos para saber se havia álcool no sangue de Fernando, entre outros. mais tarde ele vai César Guidaque participou das análises de DNA realizadas no âmbito da investigação.

Eles completarão os depoimentos do dia entre quatro e sete funcionários da PFA cumprimentos de extrair e analisar a quase dois terabytes de informações armazenadas nos nove celulares sequestraram os réus no momento de sua prisão.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 29 veces, 1 visitas hoy)