LN – A Promotoria do Peru lembra a Dina Boluarte que ela não tem competência para investigar crimes



A Procuradoria-Geral do Peru lembrou à presidente do país, Dina Boluarte, que é um órgão judicial independente e que é o único que tem competência para investigar crimes, tudo isso depois que o presidente afirmou que a violência registrada durante os protestos no país “não ficará impune.

“Relembra-se aos poderes do Estado, dos órgãos constitucionais e das instituições públicas e privadas que o Ministério Público é um órgão institucional autónomo”, lê-se num comunicado divulgado pelo Ministério Público, liderado pela procuradora-geral Patrícia Benavides.

Na carta, o Ministério Público reiterou que “a função de investigação criminal é uma competência constitucional” do Ministério Público, que “é exercida com autonomia, independência e sem qualquer tipo de ingerência política, económica ou mediática”.

Nesse sentido, o órgão judicial tem defendido seu compromisso com uma atuação objetiva em defesa da legalidade e dos Direitos Humanos de todos os peruanos.

A declaração vem um dia depois de Boluarte ter feito um discurso televisionado contra os manifestantes violentos em ‘La Toma de Lima’, garantindo que “todo o peso da lei” cairá sobre eles.

Especificamente, o presidente advertiu que o Governo “agirá dentro do marco da Constituição” contra aqueles que provocaram atos de violência, assegurando que os fatos ocorridos em algumas áreas de Lima não são uma marcha pacífica.

“Você quer quebrar o estado de direito, quer criar caos e desordem. E dentro desse caos e desordem, tomar o poder da nação”, disse Boluarte.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 1 veces, 1 visitas hoy)