LN – O presidente se reúne com Massa na sexta-feira e sua chegada ao Gabinete é definida


Em meio a rumores e especulações sem fim, o presidente Alberto Fernández e o presidente da Câmara dos Deputados, Sérgio Massa, Eles se encontrarão na sexta-feira ao meio-dia. Nesse dia poderiam definir a entrada do Tigrense ao governo nacional.

tanto quanto ele poderia dizer A NAÇÃO, Massa já tem a aprovação do vice-presidente Cristina Kirchner para entrar no Gabinete. Resta apenas a definição do chefe de Estado, que até agora atrasou a decisão. Tampouco foi resolvido em que lugar e com que poderes Massa vai desembarcar na administração nacional.

Há duas opções na mesa: o Chefe de Gabinete e o Ministério da Economia. Mas a verdade é que a possível chegada do deputado se dará no quadro de uma reestruturação da equipe presidencial. Isso, segundo fontes oficiais, é fundamental para tentar revitalizar um governo preso em uma crise sem fim.

Sergio Massa com o presidente Alberto Fernández

Sergio Massa com o presidente Alberto Fernández (Ricardo Pristupluk/)

As últimas 72 horas foram frenéticas, segundo fontes oficiais. Alberto Fernández, Cristina Kirchner, Sergio Massa estiveram em comunicação permanente. A última coisa que resta a ser definida é a gravitação e a autonomia exigidas pelo chefe da câmara baixa. Conforme anunciado ontem A NAÇÃO, Massa exige total liberdade para enfrentar a fase final do Governo. Sua chegada seria acompanhada por um grupo de líderes que ocupariam cargos-chave.

Alguns dos governadores presentes na Casa Rosada conversaram sobre isso com o presidente. Os líderes provinciais exigem uma “ação” maior de Fernández. No topo das reclamações apareceu a necessidade de avançar com medidas econômicas para amenizar a grave crise, mas em segundo lugar ficou o pedido para que o presidente “unifique e torne o gabinete mais compacto”.

Enquanto o lugar que Massa ocupará na diretoria interna ainda está sendo definido, o Chefe de Gabinete, João Manzur, Ele deu um aviso às suas tropas: “calma”. Segundo fontes oficiais, o homem de Tucuman anunciou que permaneceria em seu cargo. Um gesto nesse sentido foi a confirmação dos deputados de que o ministro coordenador apresentará seu relatório de gestão no local no dia 31 de agosto.

O presidente participa de um ato da UOCRA com Gerardo Martínez em Esteban Echeverría

O presidente participa de um ato da UOCRA com Gerardo Martínez em Esteban Echeverría (Ricardo Pristupluk/)

Massa, por sua vez, reuniu-se nas últimas horas com parte de sua equipe econômica. Ele estava avaliando a situação com o vice-diretor do Fundo de Garantia de Sustentabilidade (FGS), Lysandre Cleri, o Director-Geral das Alfândegas, Guilherme Miguel, secretário de finanças, Eduardo Setti, e o especialista no assunto na área, Gabriel Delgado.

Em conversas com Fernández e o ex-presidente, Massa argumentou que a profundidade da crise fez com que a chegada de Silvina Batakis ao Palácio do Tesouro. O que ele propôs foi uma reformulação abrangente do gabinete. Menos ministérios, um sinal também para a sociedade em meio à crise econômica imparável.

Nesse cenário, um clamor operativo começou a agregar Massa ao gabinete nacional. O mais explícito foi o chefe do Gabinete de Buenos Aires, Martin Insaurralde, que disse que o presidente da Câmara dos Deputados tem “visão e experiência” para “dirigir a reconstrução”. As palavras do prefeito de Lomas de Zamora em uso de licença foram endossadas pelo governador Axel Kicillof.

O presidente Alberto Fernández e o chefe dos deputados, ontem, em San Miguel de Tucumán

O presidente Alberto Fernández e o chefe dos deputados, ontem, em San Miguel de Tucumán

“Conheço-o há muitos anos e aprecio a sua grande capacidade de gestão. Acho que sua visão e experiência seriam úteis nesta fase”, acrescentou Insaurralde. Ao pronunciar estas palavras, o ministro coordenador de Buenos Aires, acompanhado pelo presidente do Grupo Provincia, Gustavo Menéndez; o Ministro das Infraestruturas e Serviços Públicos, Leonardo Nardini; e os chefes comunais Noelia Correa (Malvinas Argentinas), Carlos Ramil (Escobar) e Fernando Moreira (São Martim). Um gesto claro de apoio dos chefes comunais.

Ele não era o único. Nos últimos dias, eles também falaram da possibilidade do deputado Vitória Tolosa Paz, próximo do Presidente, e do deputado cristinista e dirigente do CTA, Hugo Yaski. “Seria bom se Massa entrasse para o Gabinete, ele é um dos três chefes da Frente para Todos”, disse o sindicalista.

“É hora de mudar o gabinete e propor outros jogadores. Acho que Massa é um bom jogador neste momento em que você tem que dar sinais ao mercado, mas se conter dentro. Conseguir a amalgamação dos setores da Frente de Todos que estão reivindicando”, disse Tolosa, sempre presente nas visitas feitas pelo presidente.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 1 veces, 1 visitas hoy)