LN – Miami Open 2022: Nick Kyrgios, entre o show e seus demônios internos



“O campo é o pior. As pessoas são as piores. Tudo é pior quando você está na cadeira.”o tenista australiano Nick Kyrgios gritou na cara do juiz Carlos Bernardes durante a disputa do tie-break do primeiro set da quarta rodada do Miami Open 2022 contra o italiano Jannick Sinner.

Mas a reprovação do incorrigível Kyrgios – dono de um talento diretamente proporcional ao seu mau humor e comportamento à beira do regulamento – não parou por aí. Segundos depois, foi despachado com uma nova revisão: “É incrível. Esta é Miami, a quarta rodada, e eles não podem fazer seu trabalho. Tragam novos árbitros.”

Como Sinner estava sacando para subir 5-4 naquele set de abertura, o som da mão do árbitro de cadeira estourou e o ponto teve que ser contestado novamente. Foi a faísca que acendeu o pavio do australiano.

“Você deveria ser demitido agora. Eles devem se livrar de todos os funcionários e começar de novo (referindo-se aos árbitros e supervisores). Eu poderia fazer cem vezes melhor.”, exclamou Kyrgios ao se aproximar da cadeira de Bernardes para trocar de lado. O juiz nem olhou para ele. Mas o pior ainda estava por vir.

Antes do início do segundo set (Kyrgios caiu no tie-break do primeiro), Bernardes o penalizou primeiro com um ponto e depois com um jogo. pela reiteração de “conduta antidesportiva”, já que o australiano, além de falar alto, esmagou sua raquete, primeiro contra a raquete e depois diretamente contra o chão. “Todo o público vaia você. Você não ama esse esporte de jeito nenhum”, lançou Kyrgios na Bernardes.

Não é a primeira vez que Kyrgios e Bernardes discutem em campo. O precedente mais próximo foi nas semifinais de Indian Wells este ano na partida que o australiano perdeu para Rafael Nadal.




Publicado en el diario La Nación

(Visitado 6 veces, 1 visitas hoy)