LN – Mariano Closs cruzou os colunistas que cobrem o Boca sem filtro: “Eles tornam a vida de Wanchope impossível”



O relacionamento entre Wanchope Ábila e a atual liderança boca Juniors não parece ser o melhor. Em março de 2021, o jogador emigrou para o ml e, a partir daí, fez declarações sugestivas sobre sua saída do clube: “Não era minha intenção deixar o Boca. Agora estou bem tranquilo aqui, mas com o tempo as coisas serão conhecidas e virão à luz”. Além disso, sua estreita relação com Carlos Tevez e o ex-presidente Daniel Angeli Nem teria sido do agrado do Conselho de Futebol, com cujos membros o “Apache” mantinha um vínculo tenso.

Depois de sua breve passagem pelo futebol nos Estados Unidos, Wanchope voltou para a Argentina e está treinando no campus de Ezeiza com o time principal do Boca. No entanto, o jogador não será levado em consideração pelo diretor técnico Sebastião Battaglia. A intenção do CD, porém, seria vender o atacante, e não desistir dele novamente.

“Você não precisa me apressar”: o forte cruzamento entre dois colunistas da ESPN

Nesta quinta-feira, em F12 (ESPN), o motorista Mariano Clos Ele acusou os jornalistas que cobrem o Boca de colocar pedras no caminho do atacante cordobes, assim como o CD xeneize.

Você torna a vida de Wanchope impossível. É como o (Sebastião) Vila: eles não usam, eles não querem, você diz que ele é quase um ex-jogador, provavelmente porque eles dizem isso. Ele é um cavalheiro trabalhador”, disse o motorista asperamente ao parceiro Augusto César. Além disso, lembrou que uma das equipes que queria assumir os serviços de Ramón era o Nacional de Uruguay. Então, o “9” acabaria na liga norte-americana.

Em sua defesa, César disse que o arranjo econômico tem que servir “Boca, não Wanchope”, e usou o mesmo raciocínio para se referir ao caso Villa. Por sua vez, o jornalista Stephen Edul Ele acreditava que, na instituição de La Ribera, Ábila “não é usado nem querem que outros o usem”.

Mariano Closs e Julio César Falcioni relembraram briga antiga no ar

Um dos interessados Colombo de Santa Fé, embora as negociações ainda não tenham se concretizado. Nesta quarta-feira, em entrevista no ciclo Clos, o técnico do Colón, Júlio César Falcioni, admitiu o interesse de sua equipe no antigo Instituto, Huracán e Cruzeiro, e revelou que os dirigentes do clube sabalero estavam em Buenos Aires para negociar a transferência. Nas últimas horas, soube-se que a instituição aurinegra rejeitou a oferta do Boca.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 2 veces, 1 visitas hoy)