LN – Adeus à praça de alimentação. Shopping centers apostam na experiência gourmet


Num momento em que a experiência do consumidor é valorizada acima de tudo, para algumas indústrias torna-se imprescindível redefinir-se. E, nesse cenário, as praças de alimentação passam a ser uma espécie em extinção, pois parecem ter se ancorado na década de 80, e não como um consumo vintage. Quem escolhe ir a um shopping para comer como um passeio em si? Muito poucos, mas Marcelo Pirogovsky, criador da Mercat, quer mudar esse costume e devolver a esses espaços uma explosão de sabores e cruzamentos de culturas.

Buscando repetir o sucesso alcançado no local de Villa Crespo, este empresário se prepara agora para inaugurar o Mercat Caballito, um local de 1200 m2 localizado no Shopping Caballito. Será um mercado certificado orgânico, saudável e regional, com gôndolas repletas de produtos especialmente selecionados dos melhores produtores locais e, além disso, espaços gastronômicos com propostas ecléticas e inovadoras. Essa segunda versão do Mercat ficará aberta até o amanhecer e busca estabelecer o costume de fazer compras noturnas no bairro.

O negócio de cofres cresce em shoppings e bairros privados

“A ideia começou com dois fenômenos. Por um lado, a pandemia gerou a rescisão de alguns contratos, e isso abriu espaços. A isto acrescentamos que hoje vemos a gastronomia como uma experiência, não só ir comer como complemento das compras, agora é um momento em si ”, descreve Pirogovsky. “Cada proposta que estamos gerando é diferente. Em Caballito a parte de mercado tem forte presença, só a parte orgânica terá mais de 200 m2. É a maior proposta que Buenos Aires terá neste segmento. A isso somam-se 11 locais gastronômicos de diferentes origens ”, acrescenta o empresário gastronômico.

Processo mais amplo

A chegada do Mercat aos shoppings faz parte de um processo de reconversão das propostas gastronômicas dos shoppings.

A principal mudança é que a oferta está cada vez mais sofisticada e os lanchonetes dando lugar a propostas mais gourmet, replicando o que acontece em outras cidades da região como Santiago do Chile ou San Pablo, onde estão os melhores restaurantes. shoppings. Por trás dessas mudanças não está apenas a busca pela segurança, mas também pelo conforto de estacionar ou comer com mais tranquilidade, sem o fluxo constante de camelôs nas mesas que hoje implica em comer ao ar livre na rua.

“Para o Shopping Caballito, agregar o Mercat como primeiro pólo gastronômico do bairro representa mais um passo na busca de proporcionar uma experiência 360 ° aos nossos clientes, demonstrando escuta ativa e trabalho comprometido”, afirma María Laura Gregoriadis, diretora do shopping .

Proposta atualizada

Gregoriadis ressalta que o shopping já passa por um processo de atualização e aprimoramento da proposta. “Muitos desses avanços estão à vista: nos empenhamos em embelezar nossa infraestrutura e decoração, ampliamos nossos espaços e corredores, incorporamos marcas nacionais e internacionais, de forma a completar um serviço pensado para proporcionar momentos únicos e ajustados aos consumidores, porque eles são o centro e os protagonistas do negócio ”.

Que produtos podem ser encontrados no Mercat Caballito? Para começar, repetem-se alguns conhecidos da Villa Crespo, como os tradicionais petiscos judaicos da Padaria Moisha e as empanadas de tucuman da Casa de Tafí. Para quem adora hambúrgueres, não faltarão os do Lado A, com charcutaria de carne a pasto. As novas propostas vêm com Nórdica Smørrebrød do chef dinamarquês Allan Johansen; Avocado Republic, com seus pratos à base de abacate; Núvola Pizzas, com sabores muito napolitanos; Workshop L’Artisan, especialistas em massas; Mercado Argentbio e comida coreana da mão de Kyopo. A cafeteria de especialidades será administrada pelo Culto Café, e também haverá um bar de coquetéis e uma cervejaria.

Após a inauguração com sucesso em Villa Crespo, a Mercat agora busca chegar aos shoppings e a primeira parada será no Shopping Caballito

Após a inauguração com sucesso em Villa Crespo, a Mercat agora busca chegar aos shoppings e a primeira parada será no Shopping Caballito

Uma das vantagens que este Mercat terá é que tanto as vagas quanto as gôndolas estarão abertas até as 3 da manhã nos finais de semana. A firma Mercat terá a administração, e eles já calculam que em 36 meses poderão recuperar o investimento e atingir cerca de 70 mil visitantes mensais.

A inauguração, prevista para fevereiro, é possível graças ao fato de o shopping ter adicionado metros quadrados na compra de um prédio que ficava na Rua do Rosário. Além disso, isso envolverá a criação de cerca de 100 empregos.

Claro, há uma pergunta obrigatória na hora de ouvir esses planos: o que acontece se a capacidade ou a mobilização de pessoas for restringida novamente por causa da pandemia? “Temos planos A, B e C”, ri Pirogovsky, que já passou pela inauguração do Villa Crespo em quarentena total.

“Pode acontecer que haja isolamentos com intervalos ou que voltemos a um distanciamento e trabalhemos a partir disso. Não reclamamos, também sabemos que a pandemia abriu oportunidades para nós, em meio a todo esse infortúnio ”, afirma o fundador do Mercat. “Levar o conceito e o estilo dos melhores mercados externos, tornar-se um plano disruptivo e diferente para as famílias portenhas”, acrescenta Gregoriadis.

Adicionar propostas

A ideia de modernizar os ambientes gastronômicos dos shoppings não acaba aqui. Em breve Pirogovsky tem outro projeto em mãos: abrir uma experiência no Alto Palermo.

Éxodo comercial: o microcentro está ficando sem farmácias

“Será organizado por ingredientes, e cada um será o guia de um local, que vai servir e vender tudo o que se relaciona com aquele produto, como arroz, batata, carne a pasto, marisco, farinha, trufas e muito mais”, disse Pirogovsky.

“Mercat superou nossas expectativas. Com Villa Crespo pensávamos que ia ter um pico muito alto e depois ia descer e estacionar, mas hoje os níveis de atendimento e de faturação não só não baixaram como estão a aumentar um pouco mais cada vez. Somos entre 700 e 800 pessoas durante a semana e 3.500 nos finais de semana. Tornou-se ponto de visita de todos ”, resume seu fundador.



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 1 veces, 1 visitas hoy)