LN – A Justiça de Buenos Aires ordenou a suspensão das obras do parque linear de Caballito



Em meio à polêmica que causou o início das obras do parque linear sobre a avenida Honório Pueyrredon, dentro cavalinho, atrás do resistência de um grupo de vizinhos do bairro, a Justiça de Buenos Aires ordenou a suspensão do projeto de corredor verde.

O Tribunal de Buenos Aires em matéria contenciosa, administrativa e tributária 15 hoje abriu espaço para proteção apresentado por um organização do bairro de Caballito S ordenou ao governo de Buenos Aires que suspendesse as obras do parque linear na avenida Honorio Pueyrredón.

A mudança foi ordenada por Juiz Victor Trionfetti após o apelo ambiental levantado semanas atrás por a associação SOS Caballito Em relação à obra que prevê o fechamento de metade das pistas de Honorio Pueyrredón para transformar o local em um parque linear.

Conforme publicado A NAÇÃO, O projeto viário foi anunciado em setembro de 2021 pela administração de Buenos Aires para tomar metade das pistas da avenida Honorio Pueyrredón, no sentido sul-norte, para criar uma chamada “rua de convivência” que foi proposta para adicionar vegetação e áreas de recreação .

O projeto -que já havia começado a tomar forma com o início das obras no final de janeiro- propõe eliminar as pistas entre a Avenida Gaona, onde está localizado o monumento a El Cid Campeador, e a rua Neuquén e substituí-las por um corredor que de acordo com o plano oficial ia ter um novas árvores, áreas de lazer e descansoou, com mudanças na circulação tanto de veículos particulares quanto de transporte público.

Da mesma forma, o projeto oficial afirma que neste trecho a circulação seria unilateral para o norte.

No entanto, alguns vizinhos se opõem ao que consideram a “destruição” da avenida e propõem, como alternativa, a criação de um espaço verde na área do pátio ferroviário, localizado a poucos quarteirões do local onde a obra é realizada, que poderá ter uma área de 15 hectares.

Neste quadro, eles fizeram várias reivindicações, que incluíam marchas na área do Cid Campeador e no cruzamento das avenidas Acoyte e Rivadaviabem como na área de obras rodoviárias.

Fracasso

Na sentença, o juiz pediu às autoridades de Buenos Aires que “comunicassem” a suspensão à empresa adjudicatária das obras rodoviárias e solicitou que “sejam tomadas as medidas necessárias para manter a segurança rodoviária e pedonalse necessário, pela existência de eventuais oficinas, vedações, materiais ou maquinaria”.

Em outro momento, o magistrado instruiu tanto o Poder Executivo quanto a Junta Comunitária da Comuna 6 da Cidade Autônoma de Buenos Aires a convocar uma Audiência Pública Temática “Sobre a mudança de uso em domínio público e a questão ambiental”.

E em relação a isso, ressaltou: “Que o direito de acesso à informação e de participação pública com respeito às normas convencionais e legais pertinentes, e realizar audiência pública”. Por outro lado, o juiz considerou que “permanece a questão da ausência de lei”, que aprova a modificação da via que transforma uma parte da rua Honorio Pueyrredón em rua de convivência. “Essa exigência, não é do meu interesse satisfazer ou ordenar”, disse o magistrado.

Com informações da Telam



Publicado en el diario La Nación

(Visitado 1 veces, 1 visitas hoy)